Um pouco sobre a Alemanha

A Alemanha é uma nação rica em variedade geográfica e histórica. Ela abrange muitos tipos diferentes de paisagens européias, com altas montanhas e vales férteis. Historicamente conhecida como ‘Das Land der Dichter und Denker’ ou ‘a terra dos poetas e pensadores’, suas raízes remontam aos tempos do Império Romano-Germânico e anteriores. Optar pela Alemanha é escolher um país incrivelmente bonito com uma cultura moderna, diversificada e emocionante.

A Alemanha é o país mais populoso da Europa e inclui um grande número de imigrantes de várias nações européias. É o lar de cidades emocionantes, como Colônia, Hamburgo, e, naturalmente, Berlim, todas oferecendo muitos eventos e lugares que você irá querer visitar, locais culturais e históricos emocionantes.

Esportes são muito importantes na Alemanha, quase um terço da população pertence a um clube desportivo. Tem o football (futebol) que  é imensamente popular, e a corrida de Fórmula 1. A Alemanha também tem grande influência no mundo do cinema, e mantém esse status com eventos como o renomado Festival de Berlim.

A Alemanha foi o lar de grandes compositores clássicos como Beethoven e Bach, mas também tem um cenário musical moderno vibrante e dinâmico.

A Alemanha tem quatro tipos diferentes de escolas secundárias:Gymnasium, Realschule, Hauptschule, e Gesamtschule. O Gymnasium e Gesamtschule são onde os estudantes se prepararam para estudar em universidades, enquanto os outros são mais focados nas diferentes graduações da educação profissional. A entrada nas universidades alemãs baseia-se num conjunto de exames realizados aos 18 ou 19 anos, e muitas universidades são reconhecidas internacionalmente.
Então, se você se considera um poeta, um pensador, um atleta, ou apenas alguém interessado em estudar no exterior, pode ter certeza de que a Alemanha tem algo para lhe oferecer.

O que está incluído?

  • Seleção, orientação e suporte no Brasil
  • Material de orientação e embarque
  • Seleção de família anfitriã voluntária Seleção de escola
  • Assistência nos aeroportos
  • Orientações durante o intercâmbio
  • Apoio de voluntários treinados pelo YFU
  • Assistência psicológica profissional, se necessário
  • Seguro de saúde
  • Curso intensivo de alemão por 3 semanas
  • Viagens domésticas, na Alemanha, para atividades do YFU.

O que não está incluído?

  • Bilhete aéreo para a cidade de chegada indicada pelo YFU Alemanha.
  • Despesas com a obtenção de passaporte e visto
  • Dinheiro para gastos pessoais
  • Livros escolares, uniforme, atividades escolares
  • Transporte para escola Viagens opcionais

Depoimentos

  • "
    Para mim, escrever sobre a Alemanha nunca foi fácil; e muitas vezes me peguei me negando a escrever sobre ela. Isso acontece porque foi, para mim, a experiência mais pessoal que já vivi. Foi não apenas um intercâmbio, como uma jornada de autodescobrimento. A Alemanha me mostrou a melhor versão de mim.
    Tenho certeza, porém, que eu não fui a única responsável por isso.
    Fui para a Alemanha em Janeiro de 2017 com o YFU. Me disseram que o voo sairia de São Paulo, e que todos os brasileiros iriam se encontrar no aeroporto de Guarulhos. Sobre este trajeto entre Rio - São Paulo eu não me lembro bem, sei que não sabia o que pensar. Estava feliz, sem preocupações. Minha mãe até hoje diz: "eu não sabia se pensava que você não tinha noção nenhuma do que estava para acontecer, ou se você simplesmente estava extremamente tranquila!".
    As primeiras 3 semanas foram, definitivamente, o melhor jeito possível para uma introdução àquele país. Eu, mais 4 brasileiros, 2 pessoas da Costa Rica, 2 dos Estados Unidos e 1 da Mongólia moramos em Munique durante esse tempo, tendo aula de Alemão (não apenas da língua, mas também da cultura!) todos os dias de 8h às 15h, juntamente com passeios ao redor da cidade. Algo muito curioso foi que, todos os nossos pais anfitriões durante essas 3 semanas, eram amigos há muito tempo, e haviam simplesmente decidido receber estudantes. Ficamos todos muito próximos, sempre livres e com muitas histórias pra compartilhar sobre nós mesmos.
    Fevereiro foi o mês da mudança. Cada um de nós pegou um trem para nossas cidades permanentes. Gosto de pensar que pegamos o trem da mudança, o trem da vida. A partir dali, tudo mudaria. Não teríamos mais uns aos outros fisicamente e, a partir dali, tudo seria um desafio. Sem exceções.
    Fiquei em uma cidade pequena, chamada Naumburg (Saale). Me lembro de descer do trem às 14h30min do dia 11 de fevereiro e procurar pela minha família: duas menininhas, um pai e uma mãe. Não demorou muito, avistei um cartaz amarelo enorme, me desejando boas vindas, e o pai com uma das meninas caminhando em minha direção. O que eu senti ali foi muito rápido, mas muito forte. Queria chorar, mas ao mesmo tempo não quis. Sorri, abracei todos e fomos pra casa. Durante o caminho, lembro de pensar "nossa. Eu vou morar com essas pessoas durante um ano inteiro".
    Ter tido irmãs pequenas durante o meu intercâmbio foi uma delícia. Elas me ensinaram muitas coisas novas, desde palavras comuns a músicas infantis, e muitas vezes iam no meu quarto com a cabeça baixa, relatando algo ruim do dia delas e me abraçando, pedindo para eu colocar uma música que melhorasse o humor delas.
    Eu nunca cogitei trocar de família. Eles são extremamente importantes pra mim até hoje. Não passamos uma semana sem trocar mensagens.
    No meu primeiro mês na casa deles, a minha mãe anunciou que estava grávida. Foi lindo. Acompanhei toda a gravidez dela, herdando roupas que não serviam mais nela, e também dando roupinhas para o meu irmãozinho que nasceu em Setembro.
    Durante o meu intercâmbio, nunca senti saudade de casa. Isso me deixava confusa no início. Eu me sentia egoísta, de certa forma, pois não falava mais com muitas pessoas do Brasil, nem mesmo com a minha família. Isso me deixou confusa por um tempo, como se, de alguma forma, por dentro, eu quisesse sentir saudade. Atualmente, porém, isso não me deixa mais confusa. Agora tudo faz sentido. Eu continuava em casa. Eu saí de uma casa para ir para outra, simplesmente. Saí de um ambiente familiar para ir para outro. Saí de perto de pessoas que eu amo e achei outras que amo da mesma forma, até hoje.
    Ter ido para a Alemanha foi, sem dúvidas, a melhor coisa que eu já fiz. Além de eu ter me conhecido, eu conheci mais do mundo, mais dos outros, mais da vida, mais da maturidade e mais da liberdade. Eu vi o mundo de outra forma, vi meu país de origem com outros olhos. Passei a ver linguagens com outros olhos. Simplesmente tudo mudou. Nada continua sendo o mesmo em relação a mim. Nada.
    Quando voltei, em 2018, tive por muito tempo a sensação de estar vivendo outro intercâmbio, dessa vez dentro de mim. Eu tive que encaixar no Brasil tudo o que eu havia descoberto em mim na Alemanha; era tudo tão diferente. Foi difícil. Me afastei de muitas pessoas.
    A Alemanha sempre ocupará um espaço imenso no meu coração, juntamente com tudo que vivi lá. Tudo o que eu vivi, tudo o que eu aprendi e senti, tudo está guardado aqui. Me sinto mais apta para viver quaisquer aventuras que sejam. Me sinto com mais apetite para a vida.
    Meu pai me conta muitas vezes sobre o intercâmbio que ele fez com o YFU em 1979. Ele visitou sua família anfitriã família em 2003, 2013, 2017 e visitará novamente em 2019. Quero contar para os meus filhos sobre as aventuras que eu vivi assim como o meu pai me conta sobre as dele.
    Obrigada, Alemanha, por me mostrar quem eu sou; e obrigada, YFU, por ter sido o caminho para isso.
    "
    Raquel Negreiros - Alemanha
  • "
    Meu ano de intercâmbio foi, sem dúvidas, uma das experiências mais incríveis e transformadoras que já tive. O que vivenciei na Alemanha foi a realização de um sonho, que abracei há tempos e se concretizou quando me deparei em um país de cultura e paisagens encantadoras, que encheram meus olhos logo de início. Esse intercâmbio também tornou-se extremamente marcante por conta das pessoas que lá conheci: minha Gastfamilie [família anfitriã] e amigos, tanto alemães quanto de diversos outros países do mundo, e até mesmo os moradores da pequena vila onde vivi – situada próxima à cidade de Hannover, no norte do país – me cativaram e têm reservado em meu coração um lugar especial. Meu período de intercâmbio foi, sobretudo, marcado pelo aprendizado - viver na Alemanha foi passar a conhecer melhor a mim mesma e a enxergar meu país de origem, o Brasil, e o cotidiano nele sob outra perspectiva, valorizando ainda mais as diferenças culturais e a diversidade, que tornam cada sociedade única. E unicidade foi realmente o que permeou esse intercâmbio e o tornou tão maravilhoso. Só tenho a agradecer por ter a oportunidade de viver essa grande aventura e espero que, como eu, muitos outros jovens possam fazer do mundo sua casa!

    "
    Maria Fernanda Rocha